Loading...
expedeJusti

Justiça de Goiás expede novo mandado de prisão contra ex-braço-direito de Fernandinho Beira-Mar que foi solto após ‘erro’

Justiça de Goiás expede novo mandado de prisão contra ex-braço-direito de Fernandinho Beira-Mar que foi solto após ‘erro’

De acordo com o tribunal, agora, o nome dele passa a constar no Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP), uma plataforma que pode ser acessada em todo o país. Também conhecido como “Playboy”, Leomar é considerado como de alta periculosidade e tem duas condenações na Justiça goiana. A terceira, na federal, foi alvo do habeas corpus que teria gerado a confusão que levou à soltura.

Uma sindicância foi aberta para apurar o ocorrido no presídio, e servidores envolvidos na soltura foram afastados. De acordo com a própria Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), eles deveriam ter checado no sistema se não havia outros processos contra ele antes de liberá-lo. Caso fique comprovado que os servidores agiram de má-fé, eles podem ser exonerados. O Ministério Público disse que também investiga o caso.

À TV Anhanguera, a advogada de “Playboy”, Amanda Alves, afirmou que seu cliente não pretende se apresentar, já que, segundo ela, a soltura dele ocorreu de forma lícita. A defensora também negou relação dele com a facção de Beira-Mar.

“Tem que se identificar quem sãos os responsáveis e puní-los, porque é inaceitável você prender, e ter uma grande dificuldade para prender, nunca é fácil, um bandido como esse, e ele ser solto por um equívoco. É difícil até de acreditar. Mas de todo jeito tem que ser averiguado e punir os responsáveis”, completou o ministro.

No total, segundo o Relatório de Liquidação de Penas emitido pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), Playboy já tinha cumprindo 12 anos e três meses dos 36 anos e meio de prisão pelos quais foi condenado. Destes, 11 anos e sete meses, pela 5ª vara Federal Goiás, por tráfico de drogas. Nesse contexto, ele teria direito à progressão de regime somente em 2021.

Conforme a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), ele nunca teve nenhuma falta disciplinar. Sua ficha aponta ainda que ele já contabilizava quase mil horas de estudos na prisão, o que resulta em uma mais de dois meses de diminuição de pena.

Em uma operação de 2011, a Polícia Federal descobriu uma nova rota do tráfico internacional que passa por dentro do Pantanal. Na ocasião, foram apreendidos dois aviões e mais de 6 mil cartuchos de munição de fuzil 762 – metralhadoras automáticas de uso exclusivo das Forças Armadas – que estavam escondidos em uma fazenda. As investigações apontaram que o arsenal pertencia a Leomar.

Reportagem do Jornal Nacional revelou que o fazendeiro que cedeu a propriedade para esconder a munição levou aos policiais até o local. Ele desenterrou os tambores onde estavam os projéteis. A propriedade fica em Barão de Melgaço, a 110 quilômetros de Cuiabá, em uma região alagada do Pantanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *